Instituição de resgate mnemônico da história municipal de Esperança, Parahyba

Pesquisar este blog

sábado, 27 de junho de 2015

Esperança: impulso comércial

1961: Esperança experimentava um forte impulso comercial apesar da grande seca desse ano. Contava com três moinhos de torrefação de café, uma fábrica de mosaicos e uma agência do Banco do Comércio de Campina Grande. A indústria de beneficiamento de fibra de sisal tinha cerca de 200 operários. O ginásio diocesano recém construído possuía capacidade para 600 alunos. A cidade ainda registrava uma escola do comércio (funcionando no Irineu Jóffily) e um mercado público. O índice de construção subiu de três para 10 casas. No Município predominava o minifúndio, com 1.540 propriedades distribuídas em 172 hectares.


Rau Ferreira

Leia também: